INFOFPAS – Informação sobre Reunião com ANPC (26/Março/2019)

Resumo do vídeo:

A reunião realizou-se em 26/Março/2019, na sede da ANPC, entre representantes da FPAS (Pedro Costa, Shaiza Jethá e Pedro Silva) e representantes do Gabinete do Secretário de Estado da Proteção Civil e da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Esta reunião teve o principal objetivo de articular sobre as necessidades das Pessoas Surdas e da Comunidade Surda e sobre as dificuldades/barreiras de acessibilidade.

Uma das situações mais preocupantes é a falta de acessibilidade das Pessoas Surdas no acesso à informação/comunicação de uma forma geral e de uma forma particular nos comunicados que são feitos à população pelas Entidades Governamentais e pela Proteção Civil. Os comunicados/informações transmitidas à população sobre os incêndios de 2017 ou sobre o furacão Leslie foram mais um exemplo das barreiras vividas diariamente pelas Pessoas Surdas em Portugal.

Neste sentido, consideramos importante dar resposta a alguns pontos, ficando a FPAS disponível para articular/colaborar sobre os mesmos:

  1. As comunicações feitas em direto para a população devem ter sempre presente ILGP, de forma a assegurar a devida acessibilidade da Comunidade Surda.

Também importante será alertar os canais televisivos (RTP, SIC, TVI, CMTV) para a presença do ILGP nos comunicados.

  1. Quando os Representantes do Governo/ANPC fazem os comunicados a partir dos locais de ocorrência/tragédia ou outros locais (canais televisivos, por exemplo), o/a ILGP deverá estar também presente para interpretar a referida comunicação.
  2. Ao nível do website da ANCP (http://www.prociv.pt/), considera-se que o mesmo não está devidamente acessível para a Comunidade Surda, uma vez que a informação disponibilizada não está em Língua Gestual Portuguesa (LGP) que é a língua materna das Pessoas Surdas. A proposta será analisar a informação disponibilizada em texto e interpretar para vídeos acessíveis em LGP para a Comunidade Surda (incluir também legendagem em português para abranger toda a população Surda).

Em conclusão, a FPAS articulou sobre as várias preocupações existentes, tendo a ANPC registado as mesmas. Durante este ano, vamos continuar a trabalhar e a articular para dar resposta às várias situações.

Esperamos que este tenha sido mais um passo para trabalharmos por um futuro acessível e uma maior qualidade de vida de todas as Pessoas Surdas.