Historial

Implementação da FPAS

Aquando o I Congresso Nacional de Surdos, a 20 de Junho de 1993, realizado em Coimbra, constatou-se a necessidade premente da criação de uma Federação de Surdos que se constituísse como representante máxima da Comunidade Surda perante as Entidades Governamentais. Assim, seis meses depois, a 20 de Dezembro do mesmo ano, constituiu-se e oficializou-se a Federação Portuguesa das Associações de Surdos, com as siglas FPAS, promovida pelas seguintes associações: Associação Cultural de Surdos de AmadoraAssociação Portuguesa de SurdosAssociação de Surdos-Mudos do Concelho de AlmadaAssociação de Surdos do Oeste eAssociação de Surdos de Braga.

Traçados por estas linhas gerais, a FPAS, contou com a colaboração de Surdos Portugueses, pertencentes às respectivas Associações de Surdos, sendo que o número de filiações foram aumentando até aos dias de hoje. Inicialmente contabilizando com cinco, hoje a FPAS conta com a filiação de onze Associações de Surdos, as quais se faz representar perante Organismos Governamentais e/ou Privados de onde procura apoio financeiro, jurídico, comunitário e institucional, valorizando e aliciando o Direito do Cidadão Surdo em Portugal.

É papel da FPAS, enquanto instituição máxima representativa dos Surdos em Portugal, salientar e valorizar os Direitos da Pessoa Surda, realizando projectos e trabalhando em vários âmbitos: EducaçãoJustiçaEmpregoAcessibilidades, contando com a contínua e irrefutável colaboração do Instituto Nacional da Reabilitação, com as siglas INR.

É objectivo da FPAS dar continuidade a este duro trabalho e contar com a confiança dos Surdos Portugueses na luta por uma Comunidade Surda Visível e Inclusiva!